Opinião

FAKE NEWS: Mazela Social da Atualidade – Por Renato Menezes

Publicado dia 27/04/2020 às 17h58min | Atualizado dia 15/06/2020 às 22h34min
Para uma parcela da sociedade algo banal, mas que vêm causando muitos estragos nas vidas das pessoas.Leia:

Fake News, assunto tão falado e debatido atualmente, termo que traduzido do Inglês para o português significa “notícias falsas”, em nossa prática cotidiana, mentiras espalhadas através principalmente das redes sociais. Para uma parcela da sociedade algo banal, mas que vêm causando muitos estragos nas vidas das pessoas.

As Fake News são no geral produzidas intencionalmente, de formato criminoso, e não de forma restrita, mas principalmente e de configuração acentuada em meio político, se aproveitando do atual panorama polarizado e inflamado da nossa política nacional para criar estas notícias falsas. Especula-se que existem equipes formadas nas ideologias políticas que formam uma verdadeira indústria de Fake News, inserindo logo após o produto final desta produção, nas grandes redes da internet através de um perfil também falso, para dificultar a investigação da origem, e aí está feito o estrago, pois muitas pessoas, na inocência ou agindo de má fé, compartilham estas informações, e assim como um vírus elas se espalham de forma exponencial.

As consequências desse ato vêm sendo catastróficas, aquilo que se iniciou de forma tímida, hoje atingiu todas as esferas da sociedade, mentiras sobre doenças, vírus, que dizimam populações, mentiras sobre ações governamentais impopulares, ou populares, porém enganosas, difamações a determinadas pessoas, por motivos pessoais; familiares; políticos; acusações infundadas, sem referência alguma, informações estas que por vezes denigrem a imagem de pessoas que são inocentes da acusação trazida. São famosos os casos de fotos copiadas das redes sociais, e colocadas em anúncios, sejam eles de propaganda para a prostituição, veiculação para pedófilos, ou de procurados por determinados crimes, fazendo com que a vítima inocente sofra graves consequências psicológicas, e até físicas correndo risco de ser agredida ou assediada ao transitar pela cidade.  Para isto não existe classe social, gênero, sexo, partido político, idade, qualquer individuo pode ser vítima, tanto nas grandes cidades e metrópoles, quanto nas pequenas cidades de interior, devemos tomar o máximo cuidado em colocar fotos pessoais nas redes sociais, visto que as mesmas têm grande alcance e fácil acesso por todos.

Lidar com tudo isto não é fácil, pois na maioria das vezes somos os propagadores das Fake News, quando ela traz uma “Verdade” que concordamos, por vezes não nos damos ao trabalho de consultar a fonte, pesquisar de onde surgiu? Quem escreveu? E vamos logo ajudando a espalhar este ato criminoso, logo, o fim da reprodução das Fake News está intimamente ligado à educação e formação das pessoas. Este tema precisa ser discutido abertamente em sociedade, nas comunidades, associações, empresas, e principalmente em sala de aula, através de alertas informando que não se pode compartilhar toda informação de Rede Social; que se deve verificar a fonte; que se deve selecionar de forma criteriosa quem são as fontes de notícias confiáveis em nosso meio; além de evidenciar os estragos que as notícias falsas podem causar em suas vítimas; e denunciar todas aquelas que ficarem comprovadas ser falsas; onde as próprias redes sócias já disponibilizam ferramentas de denúncia, trabalhando assim o censo crítico dos jovens estudantes, que são o principal público da internet. Não sejamos propagadores de mentiras, devemos analisar  com cuidado as informações compartilhadas, e usar nossas redes sociais com responsabilidade para não cometermos nenhuma injustiça.

Fonte: Renato Menezes