Economia

Projeção recorde na produção de ovos pode favorecer a cadeia produtiva de avicultura do Agreste

Publicado dia 31/07/2021 às 02h19min | Atualizado dia 07/08/2021 às 16h16min
Economia do Agreste terá impactos positivos em municípios como São Bento do Una, Belo Jardim e Lajedo

Uma boa notícia foi divulgada hoje, que poderá gerar impactos positivos para a economia da Região do Agreste de Pernambuco. A Associação Brasileira de Proteína Animal – ABPA, projeta que, em 2021, o país produzirá pelo menos 56 bilhões de ovos, três bilhões a mais do que o não de 2020 (53 bilhões). Esse crescimento do consumo de ovos se reflete no mercado interno e também nas exportações.

Fatores relacionados ao alto preço da carne e a inflação geral de alimentos, contribuem para o aumento de consumo de ovos pelas famílias, e também por se tratar de um alimento nutritivo, versátil (pode ser consumido de várias formas e incorporado no preparo de outros alimentos) e de baixo custo. Para se ter uma ideia dessa expansão, em 2000, o brasileiro comia 94 unidades anualmente, em média. Dez anos depois, esse número aumentou 57% e chegou a 148 unidades por pessoa.

 

Por que essa projeção de crescimento é importante para Pernambuco e a Região do Agreste?

Pernambuco está entre os maiores Estados Brasileiros com maior número de produção de aves e ovos do país, sendo o maior do nordeste. Agrega mais 1.500 produtores empregando mais de 150 mil pessoas nessa cadeia produtiva. Responde por 7,29% do plantel da produção de aves de postura do Brasil. Ficando em quarto lugar na produção nacional em postura.

No estado de Pernambuco 60% da produção de ovos do Estado provem da região Agreste, que também concentra 70% da produção de aves, embora sofra restrições de acesso à água e não tenha grandes plantios de milho, sorgo e soja próximos, principais rações das galinhas.

As cidades do Agreste que mais se destacam na avicultura São Bento do Uma (maior produtor do Estado e conhecido como “a capital do ovo no Nordeste”), Caruaru, Garanhuns, Bezerros, Lajedo e Belo Jardim, que também abriga grandes produtores de frango de corte. No Agreste, são cerca de 50 empresas e 1.000 granjas gerando emprego para aproximadamente 75 mil pessoas.

Outros municípios que se destacam como grande produtores de aves e ovos em Pernambuco são Paudalho, Arcoverde e Petrolina.

Considerando esses indicadores, não deixa de se ruma boa notícia para a região Agreste a projeção de que o país poderá ter uma produção recorde de ovos em 2021.

“Brasil terá produção recorde de 56 bilhões de ovos neste ano, estima associação Brasileira de Proteína Animal”.

 

Por Roberto Ramos

Economista e Diretor Técnico da RCR Análises Setoriais para o IGS Web.

Centro de Processamento de Ovos da Granja Almeida em São Bento do Una - PE, 31/07/2019, um dos maiores do país 

Foto: Ildebrando Gutemberg 

Fonte: Roberto Ramos